sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Guardião das Matas

Quem disse que nós não temos duendes aqui nas terras do verão? O Curupira é um habitante das florestas brasileiras, protetor de sua flora e fauna contra os caçadores e os que extraem as riquezas destes lugares, como os madeireiros. Representado comumente como um menino verde e ruivo que cavalga um porco do mato, o Curupira têm os pés ao avesso, com os calcanhares para frente, que o permite enganar os caçadores ao deixar pegadas falsas no chão, levando-os a se perderem no meio das florestas. O Curupira tem também o poder de realizar encantamentos e de se metamorfosear em outras criaturas, além de ser forte, rápido e muito astucioso.




O significado da palavra tem origem no tupi, sendo “curu” uma derivação de curumim, que significa menino, e “pira”, corpo. Curupira significaria, assim, aquele que tem corpo de menino. Os portugueses tiveram contato com a lenda logo no princípio de sua chegada ao território onde hoje é o Brasil. O próprio José de Anchieta relatou a lenda do Curupira, fazendo a primeira referência em 1560. Para os portugueses, era visto como um demônio ou um mau espírito; outros o viam como uma criatura benfazeja que punia somente aqueles que mereciam ou que o ofendiam. 

Um dos grandes estudiosos da cultura popular brasileira, Luís da Câmara Cascudo, descreve a ação do Curupira em sua Geografia dos Mitos Brasileiros da seguinte forma: “vigiando árvores, dirigindo as manadas de porcos do mato, veados e pacas, assobiando estridentemente, passa a figura esguia e torta do CURUPIRA, o mais vivo dos duendes da floresta tropical".

Os encantamentos do Curupira servem tanto para adultos quanto para crianças. Em relação a estas últimas, diz a lenda que o Curupira costuma levar crianças pequenas para morar com ele nas matas. Após encantá-las e ensinar a elas os segredos da floresta durante alguns anos, os jovens são devolvidos para suas famílias. As crianças levadas pelo Curupira nunca voltam a ser as mesmas depois dessa experiência e tornam-se protetoras exemplares da natureza.

Os contadores de histórias dizem que o Curupira, muito traquino, também pode encantar adultos, pregando peças naqueles que entram desavisadamente em seus domínios. Por meio de ilusões, ele deixa o visitante atordoado e perdido. O encantado tenta desesperadamente sair da mata, mas não consegue. Surpreende-se passando sempre pelos mesmos locais e percebe que está na verdade andando em círculos. Em algum lugar bem próximo, pode ter certeza, o Curupira estará observando e seguindo a pessoa, divertindo-se com o feito.

O Vigilante das Matas é famoso por castigar impiedosamente todo aquele que caça por prazer ou por dinheiro, que mata as fêmeas prenhes e os filhotes indefesos ou que derruba as árvores injustamente. Mas também há relatos de que o Curupira pode auxiliar os pescadores e caçadores que necessitam de suas respectivas atividades para matarem a fome. Nesse caso, ele mesmo pode indicar onde há caças disponíveis ou o rio onde há mais peixes. 

Artifícios utilizados contra as ações do Curupira 


Se uma pessoa estiver dentro de uma floresta e suspeitar de que está sob a influencia de um Curupira, só lhe resta uma alternativa: parar de andar, pegar um pedaço de cipó e fazer dele uma bolinha. Deve-se torcer o cipó muito bem, escondendo a ponta, de forma que seja muito difícil desenrolar o novelo. Depois disso, a pessoa deve jogar a pequena bola bem longe e gritar: 

"Quero ver você achar a ponta!"

Diz a lenda que, de tão curioso, o Curupira não resiste ao novelo. Senta e fica lá entretido tentando desenrolar a bola de cipó para achar a ponta. Vira a bola de um lado, de outro e acaba se esquecendo da pessoa a quem malinou. Dessa forma, desfaz-se o encanto e a pessoa consegue encontrar o caminho de volta para casa. 

Porém, se você quer mesmo neutralizar sua influência durante um passeio no bosque, há uma fórmula que os antigos garantem ser infalível. Quando se vir perdido, simplesmente chame o Curupira e ofereça-lhe um pouco de fumo. Então, dizem, ele ficará tão feliz com o presente que se tornará benfazejo e você poderá achar tranquilamente o caminho por onde veio. 

A seguir, uma animação muito bem feita sobre esse habitante tão importante de nossas matas:





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hey! Obrigado pela visita! Comente aqui a sua história, impressão ou opinião!